ENCONTRO COM RITA HAYWORTH
Pedro Pinheiro

JOSÉ E MARIA
Peter Turrini
15 Novembro, 2002
ALBERT HERRING
Benjamin Britten
1 Julho, 2002

ENCONTRO COM RITA HAYWORTH

Pedro Pinheiro

VERSÃO
Fernando Heitor | João Lourenço | Vera San Payo de Lemos
CENOGRAFIA
Eurico Lopes
FIGURINOS
Dino Alves
COREOGRAFIA
Carlos Prado
EDIÇÃO DE FILME
Nuno Ricou Salgado
LUZ
Fernando Heitor | Melim Teixeira
ENCENAÇÃO
Fernando Heitor
INTERPRETAÇÃO
Anamar | Maria Emília Correia | Suzana Borges | Virgílio Castelo | António Pedro Cerdeira
Um casal! O vazio. A decadência. O desfazer da ilusão do passado tornado desilusão do presente. A indiferença. Os bons velhos tempos. Os amores desencontrados. A guerra colonial. O maior amigo. A morte deste nunca aceite e inconsequente. E enquanto o homem se afunda nos fantasmas que povoam a sua imaginação passada, a América de todas as liberdades, sonhos e oportunidades, tentando escrever um livro de pretensas verdades a mulher atordoa-se e permanece no turbilhão da alta-roda que não a respeita, recebe ou reconhece. Uma relação em que o desencontro impera e a vida a dois se torna isolamento e solidão. A intolerância feita regra, amargura e paixão. A incompreensão. O fim dos mitos. O fim da razão.

Críticas

“Em palco (…) tudo acontece bem, em alta, o que agarra fortemente a emotividade e a inteligência de quem assiste ao espectáculo…”
– 26/09/2002 – Notícias da Amadora (Fernando Midões)

“O grande trunfo desta produção é o elenco e a capacidade dos actores de darem consistência às suas personagens, tornando-as credíveis aos olhos do espectador.”
–22/10/2002 – Correio da Manhã (Ana Maria Ribeiro)

“Por esta narrativa “histórica” bem escrita navegam com facilidade os quatro actores.”; “Estão todos bem: sabem o que fazem, e fazem-no sem dificuldades. “
– 27/09/2002 - O Independente (José Couto Nogueira)

“…a peça abre-se como uma das mais envolventes criadas entre nós… “
–19/09/2002 – Visão (Fernando DaCosta)