AS RAPOSAS
Lillian Hellman

BOAS PESSOAS
David Lindsay-Abaire
17 Dezembro, 2015
AMOR E INFORMAÇÃO
Caryl Churchill
13 Dezembro, 2014

AS RAPOSAS

Lillian Hellman

VERSÃO
João Lourenço | Vera San Payo de Lemos
DRAMATURGIA
Vera San Payo de Lemos
ENCENAÇÃO
João Lourenço
CENÁRIO
António Casimiro | João Lourenço
FIGURINOS
Dino Alves
VIDEO
JP Fazendeiro
LUZ
João Lourenço
INTERPRETAÇÃO
Diana Nicolau | Eurico Lopes | Gracinda Nave | João Perry | Luisa Cruz | Marco Delgado | Pedro Caeiro | Sofia Cabrita | Virgílio Castelo
Apresentada na Sala Azul do Teatro Aberto de 19 de Junho a 18 de Outubro de 2015 e no Teatro Nacional São João (TNSJ) de 03 a 13 de Março de 2016.

Uma família de grandes proprietários quer expandir o seu negócio para aumentar o seu capital e, assim, realizar tudo aquilo que o dinheiro parece poder comprar. Na luta pelo poder dentro da família, revelam-se diferentes maneiras de pensar e agir: quem olha a meios e quem só olha a fins, quem se adapta ao presente, quem se agarra ao passado, quem vence pela força e quem espera pelo momento certo, quem é pragmático, quem escuta o coração. No fim, quem leva a melhor?

Esta versão, que transporta para os nossos dias a acção desta peça de 1939, salienta as paixões desencadeadas pela ânsia de poder e de dinheiro e questiona os valores que regem as sociedades globalizadas em que vivemos.


Críticas

“É mais uma produção irrepreensível do Teatro Aberto (…) Envolve o público num crescendo de tensão e numa lógica implacável de ação e consequência (…) A escolha dos atores também não podia ser mais adequada. Excelentes na contracena representam o pathos das suas personagens de forma livre e arrebatada. Desde logo, João Perry, a vítima sacrificial que ousa quebrar as regras estabelecidas da ambição e rapinagem, um desempenho soberbo da doença e degradação física com toda a naturalidade”. - Jornal de Letras – Helena Simões – 08/07/2015

“As Raposas fala de quem somos como sociedade, aqui e agora”. - Dário de Notícias – Maria João Guardão – 19/06/2015

“Histórias sobre lutas de poder no seio de famílias das elites financeiras”. - Público – Gonçalo Frota – 19/06/2015

“Interpretado com desenvoltura e rigor”. - Time Out – Rui Monteiro – 08/07/2015