AO VIVO E EM DIRECTO
Raul Malaquias Marques

CONSTELAÇÕES
Nick Payne
7 Julho, 2016
BOAS PESSOAS
David Lindsay-Abaire
17 Dezembro, 2015

AO VIVO E EM DIRECTO

Raul Malaquias Marques

ENCENAÇÃO E DRAMATURGIA
Fernando Heitor
CENÁRIO
Eurico Lopes
FIGURINOS
Dino Alves
DESENHO DE LUZ E VÍDEO
José Álvaro Correia
INTERPRETAÇÃO
Ana Lopes | Dina Félix da Costa | Emanuel Rodrigues | Francisco Pestana |Maria Emília Correia | Paulo Pires | Rui Mendes | Tiago Costa | Vítor d’Andrade
Um director de uma estação de televisão tem em mãos uma oportunidade única de aumentar as audiências. Um homem decide revelar a verdade muitos anos passados sobre um julgamento de contornos duvidosos. Uma história passada na actualidade, num país igual a tantos outros, onde tudo acontece ampliado pela presença constante dos meios de comunicação social. Num contexto onde a corrupção está na ordem do dia, ainda se pesa o valor da integridade? Que impacto têm as atitudes públicas na esfera familiar? Haverá mais do que uma verdade?

Ao Vivo e em Directo, peça vencedora do Grande Prémio de Teatro Português em 2014, deixa em aberto a reflexão sobre uma sociedade em permanente negociação entre os princípios da justiça e os julgamentos da opinião pública.

Críticas

“Encenado por Fernando Heitor, parte de uma boa situação dramática, com algumas zonas negras que o tornam ainda mais interessante.” - Sábado – Nuno Costa Santos – 19/05/2016

“E sobre o conteúdo de texto, Fernando Heitor diz-se um ‘sortudo’, já que ‘a peça faria sentido em qualquer parte do Mundo: a corrupção e a impunidade’ fazem, ‘infelizmente’ parte do nosso dia a dia.” - Correio da Manhã – Ana Maria Ribeiro – 12/04/2016

“Sem contar os meandros e o nó da trama, adianta-se apenas que, a certa altura, há uma morte na peça. E que tudo acontece em direto. As conclusões cabem ao espectador, a quem talvez seja – ou não – útil saber que Raul Malaquias Marques, autor do texto, foi jornalista.” - Diário de Notícias – Mariana Pereira – 08/04/2016

“Em altura de Documentos do Panamá, e quando (…) presidentes e ministros (…) e ex-pessoal (…) importante nos partidos (…) está a ser investigado por (…) enganar o povo (…) Em altura destas, dizia, quando ainda por cima a informação se desloca à velocidade da luz e qualquer mal-estar serve para iniciar uma petição e fazer do rato montanha, levar ao teatro um entrecho sobre a corrupção e a manipulação informativa, e acrescentar-lhe, embora em traços grosseiros, o frenesi das redes sociais como ampliador é de importância crucial.” - Time Out – Rui Monteiro – 27/04/2017