A ÓPERA DE TRÊS VINTÉNS
Bertolt Brecht, Kurt Weill

HOMEM BRANCO HOMEM NEGRO
Jaime Rocha
2 Agosto, 2005
A ÓPERA DO MENDIGO
John Gay, B. Britten
25 Fevereiro, 2005

A ÓPERA DE TRÊS VINTÉNS

Bertolt Brecht | Kurt Weill

VERSÃO
João Lourenço | Vera San Payo de Lemos
DRAMATURGIA
Vera San Payo de Lemos
COLABORAÇÃO NAS CANÇÕES
José Fanha
DIRECÇÃO MUSICAL
João Paulo Santos
CENÁRIO
João Mendes Ribeiro
FIGURINOS
Maria Gonzaga
COREOGRAFIA
Carlos Prado
LUZ
João Lourenço | Melim Teixeira
ENCENAÇÃO
João Lourenço
INTERPRETAÇÃO
Adriana Aboim | Ana Brandão | Ana Sofia Santos | António Cordeiro | Carlos Pisco | Francisco Pestana | Frederico Moreno | Irene Cruz | Jennifer Veiga | Joana Silva | João Ricardo | Madalena Alberto | Mário Redondo | Rui Melo | Sílvia Filipe | Tiago Mateus | Vanda Elias
PIANO
Hélder Marques
REGÊNCIA
João Paulo Santos | Nuno Lopes
MÚSICA
Abel Carvalho | António Santos | Daniel Louro | Elmano Coelho | Francisco Andrade | Hélder Perdigão | Hugo Gaito | Marco Fernandes | Mário Parreira | Mário Teixeira | Marta Vicente | Nuno Marques | Pedro Araújo | Pedro Florêncio | Rui Gabriel | Válter Passarinho | Vítor Ilhéu
Nos antros do crime e da corrupção, algures numa grande metrópole, há uma empresa dedicada ao negócio da mendicidade e ladrões, polícias e prostitutas a trabalhar em concorrência e conluio. Um casamento clandestino vem perturbar as regras do jogo e mostrar que ninguém é cúmplice ou amigo de ninguém ao ver os seus interesses ameaçados.

A Ópera de Três Vinténs estreou em Berlim em 1928 no Teatro Schiffbauerdamm. Foi um êxito musical sem precedentes e tornou conhecidos no mundo Kurt Weill, autor da música, e Bertolt Brecht, autor do texto.

Críticas

“…a encenação de João Lourenço prima pela correcção e pelo rigor…”; “ É absolutamente notável o trabalho de João Paulo Santos e a competência de todos os intervenientes…”
– 18/06/2005 – Expresso (J.C.)

“A capital beneficia do privilégio de ter em cena a Ópera de Três Vinténs…”
– 22/06/2005 – JL (Fernando Dacosta)

“…bem conseguido em todos os seus capítulos e empático…”; “ Convincente em absoluto…”; “Elenco vasto, seguro e sabedor…”
– 16/06/2005 – Notícias da Amadora (Fernando Midões)

“…Irene Cruz é notável…”
– 13/08/2005 – Expresso Cartaz (J.C)