MÃE CORAGEM E OS SEUS FILHOS
Bertolt Brecht

O JARDIM DAS CEREJAS
Anton Tchekov
26 Janeiro, 1987
VOLPONE
Ben Jonson
26 Abril, 1986

MÃE CORAGEM E OS SEUS FILHOS

Bertolt Brecht

VERSÃO
João Lourenço | Vera San Payo de Lemos
DIRECÇÃO MUSICAL
Pedro Osório
CENÁRIO
José Carlos Barros/span>
FIGURINOS
Lídia Lemos
SONOPLASTIA
Leonel da Silva
ENCENAÇÃO
João Lourenço
INTEPRETAÇÃO
André Maia | António Anjos | António Banha | Artur Mendonça | Barroso Lopes | Carlos Daniel | Carlos Costa | Carlos Duarte | Carlos Fonseca | Catarina Avelar | Eunice Munoz | Francisco Pestana | Igor Sampaio | Irene Cruz | João de Carvalho | Jorge Gonçalves | Madalena Braga | Manuel Cavaco | Mário Pereira | Nuno Franco | Orlando Costa | Rogério Paulo | Ruy de Carvalho | Ruy de Matos | São José Lapa
Prémios

Prémios atribuídos pela Secretaria de Estado da cultura - Prémios Garrett:

Melhor Produção de 1986

Melhor Encenador - João Lourenço

Melhor Cenógrafo - José Carlos Barros

Melhor Actriz - Eunice Muñoz

Prémio Antena 1:

Melhor Espectáculo de 1986

Trófeus Nova Gente:

Melhor Espectáculo 1986

Melhor Encenação - João Lourenço

Melhor Cenografia - José Carlos Barros

Melhor Actriz - Eunice Muñoz

Prémios atribuídos pela Associação Portuguesa de Críticos de Teatro:

Melhor Produção de 1986

Melhor Encenador - João Lourenço

Melhor Cenografia - José Carlos Barros

Melhores Figurinos - Lídia Lemos

Melhor Interpretação - Eunice Muñoz

Melhor Interpretação Secundária - Irene Cruz

Prémios atribuídos pelo semanário "Sete" - Setes de Ouro 1986

Melhor Encenador - João Lourenço

Melhor Cenógrafo - José Carlos Barros

Melhor Actriz - Eunice Muñoz

Melhor Actor - Ruy de Carvalho

Críticas

"Uma realização teatral verdadeiramente sublime"
- 13/7/1986 - O Diário (Maria Helena Serôdio)

"O Teatro em Portugal atingiu um nível de maturidade que só por má fé se pode negar."; "Mãe Coragem e os seus filhos , inscreve-se num dos primeiros lugares desse processo de qualificação."
- 21/6/1986 - Diário de Lisboa (Carlos Porto)

"Eunice Muñoz situa-se uma vez mais no plano de génio"; "Irene Cruz, no papel da muda Katrin, em que a actriz mostra quanto pode um verdadeiro veio histriónico, mesmo quando lhe é vedado o recurso da fala"
- 27/6/1986 - Tempo (Carlos Madeira)

"É um pecado cultural não ir vê-la"
- Julho 1986 - Diário de Notícias (Orlando Neves)

"A não perder"
- 4/10/1986 - Expresso

"...belíssimo espectáculo, onde volta em força a importância do actor"
- 26/7/1986 - Expresso

"...Irene Cruz atinge também o seu melhor e dá-nos uma inesquecível Katrin"
- 13/7/1986 - O Diário (Maria Helena Serôdio)